4 benefícios do armazenamento em nuvem para soluções em saúde

4 benefícios do armazenamento em nuvem para soluções em saúde

O armazenamento em nuvem — assim como as outras tecnologias de cloud computing — tem se tornado um grande facilitador da Transformação Digital no setor da saúde. Com sua flexibilidade, mobilidade, acessibilidade e excelente custo-benefício, a nuvem permite que negócios de todos os portes possam utilizar ferramentas de Big Data e Inteligência Artificial sem uma escalada grande nos custos com infraestrutura de TI.

Além disso, ela também agiliza a instalação e a disponibilidade de novas soluções digitais em saúde, pois diminui a necessidade de montar uma infraestrutura de banco de dados e de intranet para integrar todos os computadores do serviço. Quer entender o impacto disso para sua empresa? Acompanhe este artigo!

O conceito e o funcionamento do armazenamento em nuvem

Para compreender a nuvem, é preciso recordar como o processo de armazenamento era feito anteriormente. Os dados dos serviços de saúde eram armazenados em infraestruturas de servidores — equipamentos com alta capacidade de processamento e de memória.

Para que um computador ou um software pudesse acessar o banco de dados da empresa, ele precisaria estar fisicamente conectado ao servidor, diretamente ou por meio de switches — aparelhos que fazem a redistribuição local das informações para cada computador.

Então, era preciso criar uma rede interna privada conhecida como intranet. Além dos servidores, ela demandava a instalação de cabos de conexão e de softwares de gerenciamento para redes e bancos de dados, a criação de uma equipe ampla de TI para a manutenção entre outras coisas. Isso limitava bastante a ação dos sistemas e dos softwares de gestão de saúde, pois:

  • era extremamente difícil obter dados à distância;
  • limitava o crescimento das empresas porque, à medida que os dados novos de clientes chegavam e as equipes aumentavam, era preciso reformular a infraestrutura, trazendo custos elevados e necessitando do comprometimento das operações até que toda a nova capacidade fosse instalada;
  • reduzia a possibilidade de integração com outras soluções.

Ademais, isso limitava a capacidade de investimento dos gestores de saúde, afinal, era preciso investir muitos recursos em um setor diferente da atividade principal da empresa.

Já com a nuvem, o processo de armazenamento e integração dos dados é diferente. Em vez de utilizar as redes de intranet para a conexão entre os equipamentos e os servidores, aproveita-se toda a infraestrutura já disponível da internet, que atualmente está em praticamente todos os locais do mundo.

Ou seja, o acesso aos bancos de dados não está restrito à rede local e pode ser feito em qualquer equipamento com conexão à internet. No entanto, isso não significa insegurança, pois é possível utilizar ferramentas de proteção de informações que restringem o acesso somente a pessoas e softwares autorizados.

Nesse sentido, é importante ressaltar um ponto. Há um equívoco em associar o armazenamento em nuvem com servidores remotos, mas há três modalidades de estrutura de cloud:

  • privada — os servidores são utilizados apenas por uma empresa. Nesse caso, existem duas possibilidades. Sua empresa pode montar uma infraestrutura própria de armazenamento com integração via internet ou contratar um serviço terceirizado que ofereça servidores remotos exclusivos para as suas soluções;
  • pública — seu negócio compartilha a mesma infraestrutura de servidores remotos com outras empresas. Todavia, os bancos de dados são individuais e protegidos de forma que somente sua empresa tem acesso às informações armazenadas;
  • híbrida — ocorre quando uma parte da infraestrutura é privada e a outra é pública, havendo um diálogo entre ambas.

Então, uma estrutura de nuvem pode, sim, contar com servidores internos, mas eles se conectam com os demais equipamentos pela rede de internet em vez da intranet.

Os 4 benefícios do armazenamento em nuvem para o setor da saúde

Com tudo isso, é possível obter benefícios específicos para os diversos pontos de uma rede de assistência à saúde, desde o plano de saúde até o médico. Confira!

1. Redução de custos com infraestrutura

Esse é um dos principais benefícios da nuvem, pois, em geral, esse serviço dispensa ou reduz as compras de servidores físicos, switches, fios e softwares de gestão de rede interna. Em vez disso, as empresas que ofertam serviços hospedados na nuvem utilizam uma modalidade de prestação chamada de Software as a Service (SaaS) ou de Storage as a Service.

Nesses casos, os clientes somente pagam pelas ferramentas e pela capacidade que utilizarem ou, então, assinam pacotes adaptáveis para o seu nível de operação atual. Isso é ideal para o setor da saúde. Assim, os prestadores de serviço de saúde não desperdiçam recursos montando uma infraestrutura que ficará ociosa por muito tempo até que o volume de dados dos pacientes seja suficiente para ocupá-la e compensar o investimento. Isso ajuda a manter os custos operacionais de TI no mínimo possível.

2. Facilidade no acesso a informações e integração

O setor de serviços de saúde é um dos que mais necessitam de uma ampla acessibilidade dos dados. Afinal, diversos atores participam da rede de gestão e de cuidados, como:

  • médicos, enfermeiros, técnicos e equipes multidisciplinares que atendem o paciente em diversos contextos, frequentemente, distantes fisicamente;
  • planos de saúde, os quais são responsáveis por realizar operações de autorização de procedimentos, pagamentos aos prestadores, repasses de recursos etc.;
  • laboratórios e serviços complementares, que podem disponibilizar resultados rapidamente pela nuvem;
  • os sistemas desses diversos participantes, que precisam se integrar perfeitamente e acessar dados críticos para a otimização dos processos.

Com a nuvem, todos podem compartilhar o mesmo ambiente de armazenamento e definir bancos de dados compartilhados e atualizados em tempo real. Dados completos disponíveis prontamente, operações de validação e autorização mais ágeis e simples e integração entre ferramentas significam que as decisões corretas podem ser tomadas no momento certo, a fim de trazer o melhor serviço ao paciente.

3. Maior segurança

Os dados de saúde armazenados em servidores estão sujeitos aos mais diversos riscos, desde aqueles relacionados à perda de informações por falhas até o sequestro por ação maliciosa. A nuvem permite que todas as informações tenham uma cópia em um servidor remoto.

Em qualquer evento adverso, como violação dos bancos de dados ou problemas no hardware, é possível recuperar os dados rapidamente sem comprometer a disponibilidade das informações para os prestadores de serviço.

Além disso, os serviços especializados em nuvem têm muito mais capacidade de investir em ferramentas de proteção dos dados contra invasões. Afinal, trata-se da atividade principal deles. Desse modo, contam com as melhores ferramentas de Inteligência Artificial, de criptografia e de firewall.

4. Melhora na investigação clínica

Por permitir uma melhor integração de dados, haverá mais informações disponíveis para análises de Big Data, que podem dar insights valiosos aos gestores. Por exemplo, o aprendizado da máquina trará uma verdadeira revolução para o setor de saúde.

As ferramentas de Inteligência artificial com acesso à nuvem poderão acessar os dados do paciente para rodar previsões de saúde populacional e individual, fazer modelos de padrões de ocorrências, verificar a efetividade de cada ação, reunir os dados críticos de cada paciente, entre outras funcionalidades.

Dessa forma, é possível melhorar o serviço em diversos pontos, como:

  • direcionar o paciente para o tratamento ou o serviço mais adequado da rede;
  • prever os pacientes em maior risco de adoecimento e de eventos graves e elaborar uma estratégia preventiva;
  • reduzir os custos ao localizar os gargalos e desperdícios em toda a rede de prestadores de serviço;
  • facilitar os processos de autorização de exames e cirurgias ao oferecer um relatório completo sobre os riscos relacionados ao paciente, ao procedimento e ao requerente, entre outras vantagens.

Portanto, o armazenamento em nuvem tem se tornado uma das ferramentas digitais mais importantes para o setor da saúde. Ele oferece benefícios que melhoram diversas etapas da jornada do paciente, desde o momento que ele chega ao consultório até o acompanhamento do tratamento, passando pela autorização e supervisão adequada de requerimentos de procedimentos e por um melhor direcionamento na rede de serviços.

Gostou deste post sobre o armazenamento em nuvem? Então, continue no blog e aprenda mais sobre a gestão de custos em saúde!

Deixe uma resposta