Como operadoras de saúde e grandes corporações podem reduzir desperdícios e evitar custos sem reduzir a qualidade assistencial

Como operadoras de saúde e grandes corporações podem reduzir desperdícios e evitar custos sem reduzir a qualidade assistencial

Estima-se que 30% das despesas do setor tenham alguma forma de desperdício que poderia ter sido evitado. Saiba como reduzir os desperdícios sem reduzir a qualidade assistencial na sua empresa.

O aumento do custo assistencial é uma das maiores preocupações para as operadoras de saúde. De acordo com uma pesquisa da Federação Nacional de saúde Suplementar, a FenaSaúde, os custos com assistência, incluindo consultas, internações e outros tratamentos, chegam a consumir mais de 80% da receita arrecadada com as mensalidades dos beneficiários. Esse número por si só já é bastante preocupante para qualquer gestor, mas há, ainda, um outro dado da mesma pesquisa que traz à luz outro problema: o desperdício de recursos. Ele representa, segundo a FenaSaúde, 30% do total de recursos dispendidos pelo setor.  Para saber como reduzir desperdícios e evitar custos sem reduzir a qualidade assistencial, vamos primeiro entender porque ele acontece.

Sabemos que, em se tratando de um serviço assistencial, os gastos são inevitáveis. E eles são inevitáveis por numa lógica muito simples: pessoas contratam ou aderem a planos de saúde porque pretendem utilizar ou querem a segurança de ter a assistência caso venham a precisar algum dia. Os custos desnecessários, contudo, são perfeitamente evitáveis e podem ser minimizados e, em muitos casos, abolidos.

Mas a redução dessa perda de recursos não é uma medida simples de ser tomada e aplicada. Isso porque o consumo dos recursos da operadora envolve muitos atores. É necessário que cada um deles seja abordado em suas etapas do processo e conscientizados sobre suas responsabilidades e os impactos ao pedir, solicitar, aprovar e realizar procedimentos e atendimentos desnecessários. Além disso, é essencial mapear todo o processo para averiguar possíveis falhas de operação que porventura podem vir a contribuir para esse desfecho crítico. Também podem ser consideradas opções de automatização de processos, monitoramento em tempo real de pacientes e outras soluções de IA (Inteligência Artificial) para orientar uma melhor tomada de decisão e promover a otimização dos recursos. Soluções inovadoras já disponíveis no mercado focam na redução dos custos a partir da reorganização do sistema e da geração de previsões de cenários críticos.

Reduzir desperdícios nas operadoras de saúde. Por onde começar:

  1. Uso consciente dos recursos: A forma mais simples e fácil é a conscientização de todos os agentes envolvidos no processo de solicitação e aprovação de procedimentos. Para que o prestador ou beneficiário possam discutir sobre a real necessidade de determinado procedimento naquele momento, é necessário que ele esteja informado sobre os impactos da realização de procedimentos dispensáveis e da responsabilidade dele enquanto agente desse sistema para fazer o uso consciente dos recursos.
  • Procura por soluções similares e com menor custo: Alguns procedimentos e tratamentos possuem alternativas no mercado com valores mais acessíveis e com nenhuma ou pouca diferença de resultado. Criar meios para buscar e ofertar essas alternativas é uma medida rápida e segura para sua operadora reduzir custos desnecessários.
  • Análise crítica de cenário e seus possíveis impactos futuros: Acompanhar e monitorar o comportamento da sua população é essencial para saber as situações críticas no presente, seus possíveis impactos futuros e agir antes que eles aconteçam. Uma ferramenta de acompanhamento populacional em tempo real, como a da hCentrix, será uma grande aliada na sua estratégia de redução de gastos desnecessários, desperdícios e na otimização de recursos da sua empresa.
  • Ciência de todos os custos envolvidos nos procedimentos que estão no Rol da operadora: Orientar os agentes envolvidos sobre todas as etapas de um tratamento e os custos de cada uma é uma estratégia de redução de custos que pode ajudar na tomada de decisão e na procura por alternativas de menor impacto financeiro.
  • Conscientização do beneficiário: O uso consciente de recursos também deve ser uma atitude do beneficiário. Mas para que isso seja possível é necessário envolve-lo com campanhas e ações direcionadas a fim de promover a conscientização, adesão e engajamento.

É importante lembrar que quando há redução de desperdícios e, consequentemente, economia de recursos, todo o sistema é beneficiado. Com a economia de receita, as operadoras de saúde conseguem mais recursos para trabalhar podendo investir na modernização dos processos e no aumento da qualidade assistencial.

Quer reduzir o seu custo assistencial e acabar com o desperdício sem reduzir qualidade? A hCentrix tem uma solução para você! Fale agora com um consultor.

Deixe uma resposta