Gestão na saúde: as tecnologias inovadoras para empoderar gestores

Gestão na saúde: as tecnologias inovadoras para empoderar gestores

Fazer uma boa gestão na área da saúde é um dos grandes desafios do segmento, visto que esse é um segmento complexo e que envolve não apenas conhecimentos técnicos e clínicos, como também psicológicos e administrativos. Para lidar melhor com essa complexidade, é muito importante conhecer as tecnologias inovadoras para empoderar gestores.O fato é que, por meio dos avanços da ciência e das possibilidades que a modernidade pode oferecer, as tarefas podem ser simplificadas e um plano de saúde, por exemplo, pode ser muito mais assertivo e eficaz em suas ações e direcionamentos. Confira o conteúdo a seguir e descubra como isso pode ser feito!

Powered by Rock Convert

A importância da gestão na área da saúde

Gerenciar instituições, sistemas e planos na área de saúde é uma tarefa desafiadora, tanto pela própria complexidade relacionada com o setor, quanto pelos problemas inerentes aos processos assistenciais em um país tão vasto como o Brasil. Por isso, estar em sintonia com as tecnologias e inovações disruptivas é algo fundamental para os gestores que atuam nesse ramo.Soluções modernas podem ajudar na identificação, análise e estratificação de eventos, propiciando um atendimento uniforme e a adoção de ações preventivas, fortalecendo o trabalho em equipe e a otimização dos recursos disponíveis, gerando um consequente aumento da efetividade e uma altamente desejável redução de custos.

Tecnologias que podem auxiliar na gestão

Agora que você já observou um pouco melhor como a gestão na saúde é importante e que isso é ainda mais essencial se pensarmos em inovações disruptivas, chegou a hora de conhecer, efetivamente, quais são as tecnologias que estão quebrando ou que pretendem quebrar os paradigmas nesse segmento. Confira algumas delas!

IA (Inteligência artificial)

A Inteligência artificial, até pouco tempo atrás, era considerada coisa de filmes de ficção científica, mas o fato é que ela já faz parte da rotina de muitos negócios pelo mundo. No setor de saúde, por exemplo, sistemas baseados em IA podem ajudar planos e hospitais a predizerem o risco de sua população, utilizando essa informação para direcionar decisões.O próprio machine learning, que é a capacidade que os computadores passaram a ter em aprender com os próprios erros e criar novas ações não programadas é outro item que promete revolucionar o segmento. Entre as suas inúmeras possibilidades viáveis, estão a de cruzar resultados e realizar cálculos que apontem soluções com mais precisão.

Cloud

O Cloud ou, em português, nuvem, é um modelo de gestão da infraestrutura de tecnologia que permite acessar tecnologias de ponta. Conta com elevada capacidade de processamento, além de ser altamente escalável e segura, estando na base da revolução da inovação.No entanto, na área de saúde, isso pode ter uma utilização muito mais profunda e eficiente, com possibilidades incríveis de aplicabilidades. A computação em nuvem possibilita um modelo de gestão da infraestrutura mais eficiente, que permite acessar tecnologias de ponta e com elevada capacidade de processamento, altamente escalável e segura, estando na base da revolução da inovação.Um dos benefícios é o banco de dados integrado, por exemplo, é que ele pode conectar vários dispositivos, profissionais, hospitais, universidades e estabelecimentos, possibilitando a percepção de tendências, antecipando o surgimento de epidemias e muito mais. Qualquer conteúdo pode ser compartilhado, permitindo observar cada alteração em tempo real.

Robótica

O uso de robôs em cirurgias já vem sendo apontado como uma possibilidade há muito tempo, mas o fato é que, nos dias de hoje, essa é uma tendência que faz parte do dia a dia de hospitais em alguns países. O grande diferencial é a eficiência impressionante que essa solução traz para a boa parte das operações. São equipamentos modernos, que fazem tudo com maior precisão e são menos invasivos, colaborando para procedimentos minuciosos.

Big Data

Você já deve ter ouvido falar do conceito de big data, que é o imenso conjunto de dados — tanto estruturados quanto não estruturados — gerados e armazenados nos dias de hoje, especialmente por conta da internet e do imenso número de dispositivos conectados, pelos quais as opções de processamento tradicionais não conseguem lidar em um tempo tolerável.Soluções modernas revertem esse cenário e conseguem não apenas fazer a mineração desses dados — processo de exploração de grandes quantidades de informações, à procura de padrões. Com isso, é possível transformá-las em elementos estruturados, que permitem uma identificação e interpretação de novas normas, melhorando a eficiência operacional, auxiliando nas tomadas de decisões e reduzindo os custos, trazendo mais eficiência para a gestão na saúde.

Impressão 3D

A impressão 3D vem trazendo muitas possibilidades interessantes em várias áreas, desde o design até a engenharia. No entanto, o que poucas pessoas sabem é que ela também já está revolucionando o universo da medicina, sobretudo por conta de problemas que as metodologias antigas de tratamento apresentavam.O transplante de órgãos, por exemplo, tem os seus desafios, como a obtenção de um doador compatível e a chance de rejeição. Já o uso de próteses pode ser outro problema, pois elas costumam ser muito caras. A impressão 3D pode solucionar essas questões, usando células-tronco como “tecido guia” para atingir a forma do elemento desejado.

IoT

A Internet of Things, conhecida pela sigla IoT, diz respeito aos dispositivos que estão conectados permanentemente com a web. É o caso, por exemplo, do Apple Watch, que inclusive pode ser considerado como um aparelho de monitoramento médico, visto que ele afere o ritmo cardíaco e outros elementos da saúde do usuário.O fato é que essa realidade deve ser extrapolada para outros aparelhos, que poderão fazer, em tempo real, uma análise da frequência dos batimentos, da pressão arterial, do nível de açúcar e muito mais. Caso ocorra algum problema, é possível enviar um alerta para o hospital de referência ou o médico, possibilitando uma conduta imediata.Como você pôde ver ao longo do texto, a gestão na área da saúde e a abordagem aos quadros clínicos serão, cada vez mais, afetadas pela evolução da tecnologia. Um gestor inteligente, portanto, deve acreditar nas inovações e utilizá-las em seu benefício, cruzando dados e informações para ter mais êxito em suas tomadas de decisão!Gostou de aprender mais sobre a gestão na saúde? Então confira também o nosso outro artigo sobre como otimizar a gestão de custos em saúde!

Deixe uma resposta