COMO A HCENTRIX IDENTIFICA SITUAÇÕES DE RISCO RELACIONADAS A COVID-19

COMO A HCENTRIX IDENTIFICA SITUAÇÕES DE RISCO RELACIONADAS A COVID-19

A Covid-19 é uma infecção respiratória causada por um vírus da família dos Coronavírus. No intuito de conter a rápida transmissão a qual este vírus mostra-se capaz, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) fez alterações imediatas para apoiar a principal estratégia de contenção da pandemia: impedir que a transmissão se espalhe de forma extremamente rápida e sobrecarregue os sistemas de saúde. Para isso, foi incluído no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde o exame de detecção do coronavírus, gerando obrigatoriedade aos planos de saúde ofertarem-no aos seus beneficiários. A medida começou a valer a partir de 13/03/2020, data de publicação da Resolução Normativa nº 453 no Diário Oficial da União. Além disso, o modelo TISS foi rapidamente alterado, acrescentando à Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS) o exame 40314618 – Coronavírus Covid-19, pesquisa por método molecular.

Conforme descrito na Diretriz de Utilização para Cobertura de Procedimentos na Saúde Suplementar (DUT) nº 126 – SARS-CoV-2 (CORONAVÍRUS COVID-19), a operadora deverá avaliar a solicitação de exame de detecção de cada paciente para autorizar o procedimento nos casos que forem enquadrados como suspeitos ou prováveis de doença pelo coronavírus, considerando para isso as diretrizes definidas pelo Ministério da Saúde para identificação destas situações. Além do diagnóstico, os planos de saúde também são obrigados a dar cobertura para tratamentos causados pela doença. 

É importante salientar que como o conhecimento dessa infecção ainda está em fase de aprendizado e desenvolvimento, a DUT nº 126 está sujeita a modificações a qualquer momento, à medida que novas evidências forem expostas.

Grupos de Riscos 

Segundo a Secretária de Saúde do Estado de São Paulo, em alguns casos a infecção pelo coronavírus pode causar efeitos mais graves, como a pneumonia. O agravamento da doença tem sido mais comum em pessoas com histórico de condições crônicas respiratórias, cardiovasculares, renais, pessoas com o sistema imunológico comprometido ou em idosos. 

Sistema ASSIST SDA

Até o momento não existem exames suficientes para toda a demanda e também considerando que a detecção do coronavírus tem que estar de acordo com a DUT nº 126, provavelmente sua solicitação passará por uma análise por parte da operadora, sendo possível que o profissional auditor que utiliza o Assist SDA consiga identificar com facilidade as solicitações para o exame de quem está dentro dos grupos de risco, dar prioridade para os casos mais graves e direcionar os pacientes que tenham mais risco de serem internados e terem sua condição de saúde agravada para serem acompanhados pelas áreas de Gestão de Saúde Populacional ou de Gestão de Pacientes Internados.   

Para a identificação dos perfis de risco de pacientes com Covid-19, o sistema já gera alarmes de idade e classifica as principais doenças crônicas que são fatores de risco. As condições já classificadas pelo Assist SDA são: 

  • Doenças crônicas com multipatologias;
  • Portadores de diabetes;
  • Doenças cardiovasculares com e sem complicação;
  • Doenças respiratórias;
  • Doenças renais.

Além disso, o sistema identifica pessoas que podem estar com a imunidade comprometida, como as que estão em tratamentos oncológicos ou são transplantadas.

Principais Recomendações

Por fim, nunca é demais reforçar que a principal forma de transmissão do coronavírus se dá por contato próximo entre pessoas. Portanto, devemos adotar medidas de distanciamento social e de higiene para contermos a disseminação do vírus. 

 O Ministério da Saúde orienta que para reduzir o risco de contrair ou transmitir o coronavírus devemos sempre lavar as mãos frequentemente com água e sabonete, utilizar álcool em gel quando lavar as mãos não for possível, evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos, evitar contato próximo com pessoas doentes, ficar isolado quando estiver doente e cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar. Com a contribuição de todos, temos a chance de passar por esse momento sem causar impactos extremos na saúde da população e nos sistemas de saúde.

Texto escrito por Paula Brasiel, enfermeira, especialista em informática em saúde e Customer Success na hCentrix Inteligência em Saúde Populacional.

Referências:

http://www.ans.gov.br/planos-de-saude-e-operadoras/espaco-da-operadora/avisos-para-operadoras/5410-ans-faz-alteracoes-no-padrao-tiss-para-monitorar-procedimentos-relacionados-ao-coronavirus

https://coronavirus.saude.gov.br/

http://www.saude.sp.gov.br/resources/cve-centro-de-vigilancia-epidemiologica/areas-de-vigilancia/doencas-de-transmissao-respiratoria/coronavirus.html

Deixe uma resposta