Telemedicina: saiba como ela está mudando a relação com os pacientes

Telemedicina: saiba como ela está mudando a relação com os pacientes

A telemedicina é um conceito bastante amplo que abrange as novas possibilidades trazidas pela tecnologia para que algumas ações de saúde sejam realizadas à distância. Atualmente, ela já é realidade quando acessamos o resultado de um exame virtualmente ou compartilhamos um prontuário online. Mesmo assim, há temas polêmicos, como a possibilidade de realizar consultas e procedimentos por meio dos computadores.A avanço tecnológico no futuro não deixa dúvidas que a telemedicina será muito utilizada e acreditamos que esse processo é inevitável. Por essa razão, o médico e o gestor devem prestar bastante atenção em como isso está transformando a relação com o paciente.Por esse motivo, reunimos neste post algumas informações importantes. Acompanhe e saiba mais sobre este assunto!

Powered by Rock Convert

Polêmica em torno do tema

Em relação à facilidade de comunicação entre serviços de saúde, como laboratórios e hospitais, não há muita polêmica sobre o assunto. Não é mais preciso ficar esperando a impressão e a busca de papéis entre eles. Tudo fica disponível online assim que fica pronto. Então, todos os médicos concordam que a telemedicina facilitou o acesso a resultados de exame, permitindo um diagnóstico mais rápido.Porém, o assunto ainda é polêmico em relação a outras modalidades como:

  • teleconsulta: o médico e o paciente se consultam por meio de uma chamada de vídeo e todas as etapas, como anamnese e prescrição, são feitas digitalmente;
  • telemonitorização: os sinais vitais de pacientes internados são aferidos digitalmente e transmitidos para um médico à distância. Caso seja necessário, ele alertará os profissionais de plantão para resolver ocorrências;
  • teleintervenção: alguns procedimentos invasivos poderão ser feitos por vídeo à distância.

Nesses casos, não há um consenso e muitos médicos acham que isso comprometerá a relação médico-paciente. No entanto, felizmente, cada vez mais profissionais percebem que a telemedicina pode melhorar o acesso e a qualidade dos serviços de saúde.

Vantagens na relação com os pacientes

Melhora o acesso à saúde

A telemedicina representa um grande avanço à saúde dos pacientes, pois permite que os médicos cheguem a lugares de difícil acesso, onde, na maioria das vezes, há carência de profissionais.Com o nível de tecnologia atual, já é possível fazer algumas ações de saúde à distância sem que isso comprometa a qualidade do serviço e ainda evite custos, tanto ao paciente quanto ao consultório. Por exemplo, em comunidades rurais, as propriedades podem ser muito distantes umas das outras, além de a condição das estradas impedir a chegada do médico a tempo.Então, munir os agentes e enfermeiros com ferramentas de telemedicina permitem que eles sejam um braço diagnóstico do médico, que ficará disponível em outro local. Assim, todas as medidas de saúde mais simples, como renovação de receitas e prevenção de doenças, podem ser feitas sem a presença médica.Atualmente, está sendo desenvolvida a tecnologia de cirurgia robótica à distância — que promete ser uma verdadeira revolução. Com ela, espera-se resolver o problema do acesso a médicos muito especializados, como neurocirurgiões de determinados tipos de tumores.O profissional poderá comandar um robô por meio de um console por meio da internet. Por exemplo, o médico poderá estar em Paris e o paciente aqui no Brasil. Portanto, em vez de ter de mudar para uma cidade distante para fazer um tratamento, o indivíduo poderá ir a um centro de cirurgia robótica e se operar com esse especialista pelas ferramentas da telemedicina.

Aproxima médicos e pacientes

Devido a essa possibilidade de consultas e tratamentos remotos, muitas pessoas têm o preconceito de que a telemedicina vai afastar o paciente do médico. Todavia, é muito mais provável que o oposto aconteça. As pessoas estão cada vez mais conectadas a internet e isso permite novas formas de interação entre o médico e o paciente.São vários os exemplos nesse sentido:

  • há aplicativos que ajudam os pacientes no controle da tomada de medicamentos, lançando lembretes nos horários certos. Em alguns deles, o usuário tem de fazer o “check-in” e as informações são compartilhadas com os médicos, os quais poderão monitorar a adesão ao tratamento. Caso percebam que o paciente está negligenciando a sua saúde, poderão mandar uma mensagem para motivá-lo;
  • serviços de mensagem instantânea permitem que as pessoas se comuniquem com os médicos sempre que precisarem. Então, se estiverem sentindo o efeito colateral de um medicamento ou tiverem alguma dúvida sobre o tratamento, é possível mandar uma mensagem e ter sua solicitação atendida rapidamente;
  • consultas em vídeo permitem que o paciente continue vinculado a seu médico de referência mesmo quando não puder ir ao consultório (devido a viagens, por exemplo). Sabemos que o vínculo com o profissional é parte essencial para melhorar a qualidade do cuidado.

Portanto, não há um prejuízo na relação, mas apenas uma adaptação aos novos tempos. As pessoas ainda continuarão indo ao médico com a frequência necessária para uma anamnese e exames físicos completos. No entanto, interações mais simples serão otimizadas pela internet.

Agilidade na resolução do problema

Exames, laudos, interconsultas e prontuários estarão sempre disponíveis digitalmente por meio da nuvem, assim que tiverem sido concluídos. Então, o médico assistente poderá obter um diagnóstico muito mais rápido dos problemas de saúde do seu paciente. Consequentemente, poderá intervir precocemente, o que traz um melhor prognóstico. Afinal, na medicina, o tempo é precioso e qualquer segundo pode fazer uma grande diferença.

Boas práticas para usar a telemedicina

Consentimento

Na área da saúde, o sigilo entre o profissional e o paciente é um direito essencial. Portanto, qualquer compartilhamento de informação deve ter o consentimento do último. Além disso, ele deve estar sempre de acordo com a transmissão de parte do seu cuidado para mundo digital. Caso contrário, haverá o comprometimento dessa relação que é imprescindível para o sucesso do tratamento.

Formação específica

Da mesma forma, a telemedicina traz uma maior pressão sobre a formação dos profissionais. Afinal, eles devem estar muito bem capacitados para oferecer os serviços à distância. Então, além de conhecer profundamente sua área, precisarão dominar também as técnicas, ferramentas, softwares e meios digitais.

Não se limitar a tecnologia

A tecnologia é uma aliada importantíssima em todo esse processo, e a qualidade dos equipamentos deve ser muito boa. Entretanto, o que fará mesmo a diferença é ir além dela e se lembrar que, apesar da distância, a humanização e a personalização do cuidado ainda é o grande diferencial de um médico. Portanto, não deixe de investir nesses aspectos e sempre ofereça um atendimento empático, minucioso e interativo.Por fim, acreditamos que a telemedicina faz parte do futuro da saúde, pois é uma evolução natural permitida pelo desenvolvimento tecnológico. Então, a questão não é se essa transição vai ocorrer, mas quando e como. Por isso, precisamos quebrar nossas resistências e pensar em como oferecer o melhor para os pacientes com as novas ferramentas que temos em mãos.Esse é um assunto instigante, não é mesmo? Sendo assim, não deixe de compartilhar o nosso post nas redes sociais! Veja o que seus amigos e colegas pensam a respeito sobre a influência da tecnologia no futuro da profissão.

Deixe uma resposta