INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NA SAÚDE: COMO ELA PODE MELHORAR A SAÚDE POPULACIONAL?

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NA SAÚDE: COMO ELA PODE MELHORAR A SAÚDE POPULACIONAL?

A gestão de saúde populacional é uma iniciativa importante, que visa aumentar a proatividade na saúde por meio de predições e previsões, diferentemente do antigo modelo que reage apenas diante do surgimento da doença. Para essa missão, é fundamental associar a transformação digital.

Nessa perspectiva, a inteligência artificial é indispensável para o sucesso da gestão. Por meio dela, é possível levar valor para operadoras de saúde, empresas contratantes e, principalmente, usuários dos serviços.

Durante toda a jornada do paciente, a tecnologia atua em prol da assistência, buscando estar sempre um passo à frente no cuidado com o ser humano. Confira como a inteligência artificial na saúde beneficia a população!

O papel da tecnologia na gestão da saúde populacional 

Para entender o papel da tecnologia, é preciso compreender conceitos importantes sobre a gestão da saúde populacional em si. O primeiro conceito que deve ficar claro é a necessidade de estratificar o risco da pessoa.

Considerando toda uma população, sabe-se que ela é composta por diferentes pessoas com diferentes riscos. Dessa forma, conclui-se que as pessoas não são iguais e, portanto, devem ser tratadas de maneira individualizada.

Seguindo tal raciocínio, partimos para o segundo conceito importante na gestão da saúde: a intervenção. Uma vez que cada indivíduo tem suas especificidades, isso também deve ser refletido na intervenção, de modo que a abordagem seja específica para a necessidade.

Exemplificando de maneira prática, considere uma pessoa sadia e outra acometida por uma doença crônica já com complicações. No primeiro caso, ao procurar pelo serviço, a pessoa busca por orientações. Por outro lado, um indivíduo com quadro de risco maior deve receber suporte especializado de acordo com a necessidade.

Seja depois da promoção de saúde, seja depois da abordagem especializada, é preciso medir os resultados da intervenção. Dessa forma, é avaliada toda a assistência oferecida na jornada do paciente, a qual é diretamente associada à atuação da tecnologia desde a estratificação do risco até o tratamento.

A inteligência artificial e a saúde populacional 

A inteligência artificial é o recurso tecnológico que atua cada vez mais em prol da saúde populacional. Quando uma pessoa busca pela assistência, ela gera dados. Esses dados vão desde sua identificação, como nome e idade, até os procedimentos realizados, como cirurgias e exames.

A grande questão é que tais dados podem deixar de ser apenas registros e ser transformados em informações. Porém, se ficarem desorganizados, não será possível atribuir valor a eles. É nesse ponto que o conceito de big data intervém para que, posteriormente, a inteligência artificial possa inferir informações a partir dos dados organizados.

Então, ela busca fazer a integração e a análise dos registros. Ao integrar de maneira organizada, é possível compreender o estado de saúde de cada pessoa, identificando possíveis doenças ou mesmo predizer determinado risco.

O mais interessante de tudo é que isso pode ser feito em tempo real. Assim, é possível viabilizar na prática a base conceitual de Gestão de Saúde Populacional, ou seja, estratificação dos riscos, intervenção de acordo com a necessidade e análise dos resultados por meio de indicadores.

As oportunidades e os desafios para a gestão da saúde populacional 

Embora seja um recurso essencial para otimizar a gestão da saúde, a inteligência artificial ainda é motivo de receio para muitos colaboradores. O motivo disso está associado às tarefas que realiza de maneira mais produtiva e mais assertiva que um ser humano.

Mas não se preocupe! A utilização da inteligência artificial está mais associada aos processos repetitivos, que pouco requerem o raciocínio humano. São nessas funções que as mudanças serão percebidas mais rapidamente e, a curto prazo, os colaboradores serão redirecionados para tarefas que de fato possam agregar valor.

Ao contrário do que muitos pensam, a tecnologia não veio substituir o trabalho humano, mas auxiliá-lo para uma melhor tomada de decisões. Por meio da transformação dos dados em informações, a inteligência artificial gera conhecimento para que os colaboradores estejam mais bem preparados para decisões.

Vale ressaltar que, quanto melhor a assistência, mais valor os consumidores e usuários dos serviços vão receber. Sendo assim, há uma melhora substancial desde a prevenção de doenças até o tratamento baseado no diagnóstico mais preciso. Quanto mais cedo antecipar os riscos, mais cedo é possível agir e menos complicações terá a saúde.

Para que todos os benefícios sejam usufruídos tanto a curto quanto a longo prazo, é preciso compreender que os desafios para o uso da inteligência artificial ainda existem. O primeiro deles é traduzir os resultados obtidos com o recurso, por meio de métricas palpáveis.

Uma vez reconhecidos os indicadores, é necessária uma mudança de mindset, para que as empresas possam apostar conscientemente na inovação. Por fim, mesmo que saiba a necessidade dos avanços, é preciso fazer a melhor escolha daquele recurso que de fato atenda às exigências do negócio.

As soluções da hCentrix para decisões mais assertivas 

Mais importante que saber a necessidade da inteligência artificial é contar com uma empresa que ofereça soluções de qualidade e que esteja de acordo com as exigências de segurança.

O trabalho e a integração dos registros devem respeitar a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). A hCentrix é uma empresa que atua em compliance com a LGPD, por meio de suas soluções em nuvem, como o Assist SDA.

Sendo assim, o trabalho realizado com dados visa totalmente melhorar a assistência, priorizando a saúde populacional. A proteção dos dados e a restrição do acesso apenas aos usuários permitidos são algumas das formas de segurança.

Voltando ao âmbito da integração dos dados, sua análise por meio de algoritmos permite que seja feita a estratificação dos riscos em tempo real e, assim, o Assist SDA oferece toda uma base qualificada para que os colaboradores possam tomar as melhores decisões diante das necessidades de saúde de determinado indivíduo.

A integração e a organização dos registros são possíveis graças à aplicação da inteligência artificial na saúde. Apesar de ser voltada para a população como um todo, é preciso considerar a realidade de cada ser humano que compõe o grupo e, assim, disparar ações de maneira individualizada. Não se esqueça da importância de avaliar os resultados, sendo que um dos impactos diretos, além da melhora da saúde das pessoas, é evitar custos desnecessários para sua empresa.

Não fique de fora da mudança! Entre em contato conosco e melhore sua tomada de decisões!

Deixe uma resposta