Como criar uma saúde digital com decisões baseadas em dados

Como criar uma saúde digital com decisões baseadas em dados

A saúde digital é uma transformação que incorpora e atualiza dados epidemiológicos, farmacológicos e estatísticos para oferecer um compilado robusto e objetivo que, por consequência, dará suporte aos gestores para diminuir as ineficiências da prestação de serviços na saúde.

A inovação em saúde é importante para as grandes e pequenas corporações clínicas, para os profissionais que assistem pacientes, para associações de pacientes com determinada doença e tantos outros grupos envolvidos na tomada de decisão.

Nesse sentido, o uso da tecnologia na saúde para acessar e conhecer dados clínicos, medicamentosos e governamentais é fundamental, mas dependerá de como o profissional entende esses parâmetros.

Quer saber como a saúde digital facilita a tomada de decisões baseada em dados? Então, continue a leitura e confira este conteúdo sobre o assunto!

Afinal, como podemos entender a saúde digital?

A revolução digital na saúde é uma trajetória que tem por finalidade fazer avaliação de custos e benefícios na assistência clínica e com isso melhorar o acesso ao serviço, aumentar a qualidade e otimizar os lucros de uma empresa. Para tanto, faz um acompanhamento populacional, em que se observa tanto os fatores que facilitam o adoecimento quanto aqueles que diminuem essa evolução.

Devido ao avanço da tecnologia e dos sistemas de informações sobre saúde disponíveis em bancos de dados ou softwares, é possível traçar um diagnóstico mais preciso do que aquele concluído apenas em consultório médico. Sendo assim, o embasamento obtido pelos recursos de saúde digital tem mostrado um panorama mais completo. Quando se descobre um surto de uma doença, por exemplo, é possível rastrear a fonte inicial, quais pacientes serão mais suscetíveis e quais as estratégias mais eficazes para prevenção e tratamento.

Tais dados podem ser úteis para demonstrar a mudança do perfil clínico da sociedade e os impactos tanto para o sistema de saúde quanto para população economicamente ativa. Exemplo disso são estudos que mostram mais adoecimento nos jovens entre 20 e 40 anos, indicando as causas mais prováveis.

Dessa forma, a decisão será fortemente embasada em análises estatísticas, tornando-a mais confiável, robusta e isenta de tendenciosidades, além de gerar mais credibilidade para todos os envolvidos no processo.

Quais os benefícios da saúde digital e as decisões baseadas em dados?

Diante de tantas informações obtidas atualmente é importante basear-se em fundamentos fidedignos para não impactar na decisão diagnóstica e prognóstica de forma incerta. Por isso, listamos abaixo quais são os benefícios da saúde digital para a tomada de decisão clínica, econômica e gerencial. Acompanhe.

Melhora do atendimento e da jornada do paciente

A assistência clínica ao paciente é formada por diagnósticos sensíveis e específicos, implantação de intervenções custo-efetivas e avaliação dos impactos financeiros. Entende-se por intervenções custo efetivas, aquelas com tecnologias que promovem simultaneamente benefícios clínicos ao paciente e menor custo se comparada aos tratamentos consolidados.

Para tanto, é imprescindível utilizar ferramentas tecnológicas que apurem as melhores evidências clínicas e, de preferência, optem por recursos que influenciarão minimamente no orçamento em saúde.

Outro ponto a ser considerado nessa melhoria foi o advento do prontuário eletrônico, que são idealizados especificamente para armazenar dados dos pacientes, integrar com exames laboratoriais e de imagem entre outras potencialidades. O uso do prontuário eletrônico permite acesso rápido e seguro ao histórico do paciente, eliminando erros manuscritos e agilizando o atendimento.

A saúde digital é embasada no armazenamento de diversos dados relevantes para o contexto saúde-doença que posteriormente serão utilizados na tomada de decisão pelos gestores. Isso porque, as informações obtidas podem comparar tratamentos para uma mesma doença, avaliar o perfil de pacientes, levantar os custos de cada opção e apontar estatisticamente qual deles é o mais vantajoso.

Dessa forma, ferramentas tecnológicas que auxiliam o setor saúde mostram de forma inteligente e embasada qual seria o melhor atendimento para o paciente e quais fatores influenciam em sua jornada clínica.

Redução de custos

Questões relacionadas a saúde perpassam invariavelmente por uma avaliação econômica e de impacto orçamentário. Isso significa que é possível concluir sobre quais métodos são mais vantajosos economicamente e qual seria o custo dessa implantação em longo prazo.

Esses estudos avaliam precocemente a implantação de uma tecnologia ou apontam pela desincorporação de outras com base no levantamento de custos para o sistema público e privado em saúde.

A partir dessas projeções, os gestores podem escolher pela manutenção, retirada ou mudança de conduta em relação às tecnologias estudadas, de forma a antever problemas antes que eles se desenvolvam, gerando uma enorme economia de recursos.

Esse resultado influenciaria significativamente no tratamento do paciente, evitando exposição desnecessária a tratamentos que foram identificados como ineficazes, diminuindo o risco de internações hospitalares, dentre outras complicações.

Otimização do processo

A saúde digital é uma inovação que possibilitou o acesso a resultados de estudos que, antes, demorariam muito tempo para serem finalizados. O acesso rápido e imediato aos bancos de dados de interesse e às bases científicas e clínicas tornou possível elaborar documentos de fácil entendimento.

Com isso, decisões que aguardavam muito tempo para serem tomadas, principalmente devido à translocação de informações científicas para o cotidiano real, passam a ser concluídas rapidamente. Para tanto, cabe aos gestores e demais técnicos buscar a integração dos dados, compilar os resultados disponíveis, analisá-los critica e estatisticamente, e apresentar as conclusões sobre as demandas solicitadas.

Saúde digital é um conceito que integra diversas bases e bancos de dados para fornecer um panorama sobre o processo de adoecimento da população. Por meio desse compilado de informações relevantes, têm-se a chance de otimizar a tomada de decisão embasada em dados.

E você, como está lidando com as ferramentas de saúde digital em sua empresa? Ainda tem dúvidas sobre o assunto? Compartilhe-as conosco deixando seu comentário!

Deixe uma resposta